Sexta-feira , 18 Agosto 2017
Home / Notícias / Proibições de Beijing Apple para vender o iPhone 6 porque supostamente copiar para um smartphone chinês

Proibições de Beijing Apple para vender o iPhone 6 porque supostamente copiar para um smartphone chinês

Shenzhen Baili iPhone 6

China volta a ser aquela estranha pedra no sapato para Apple e, novamente, por causa das autoridades locais e decisões privadas. Nesta ocasião, o escritório de propriedade intelectual de Pequim proibiu a empresa vende o iPhone e o iPhone 6 6 Plus na cidade, acusando-os de violar uma patente de design pertencente a uma marca local.

Ambos os modelos violaria um número de patentes associadas a Shenzhen Baili 100C, o chinês smartphone que você pode ver na foto que os dirigentes deste artigo, então você pode julgar se há ou não elementos de plágio entre um e outro dispositivo que pode ser considerado para estabelecer esta proibição.

Enquanto esperamos por esse Cupertino falar sobre o assunto, algo que ainda não aconteceu no momento de escrever isto, vamos nos concentrar um pouco as razões por que os chineses decidiram vetar o iPhone 6.

Se você acha que uma resolução rara, não se surpreenda, não é a primeira vez que acontece um caso semelhante de vetos algo absurdo com propriedade intelectual ou por motivos de patentes de acabada, embora, talvez como escasso (além da evidência é suposto para ser inerente a todos os actuais smartphones ) entre os dois modelos podem chamar-nos atenção.

Enfim, Apple eles apressaram-se para o arquivo de um apelo às autoridades para substituir a alegação do fabricante chinês e apostaríamos tem todos os votos para terminar com a razão e demonstrando que demanda de Shenzhen Baili pretende apenas chamar a atenção e tentar encontrar algum tipo de acordo económico da Apple, em vez de às vezes tende a preferir antes de levar o caso ao tribunal.

Através de | Bloomberg

Check Also

Tremor de Videoclip Emanero, gravado inteiramente com um iPhone 7 (mãos XXV)

Emanero, o músico argentino, autor do vídeo desta música, escreva-nos para nos informar que este …

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *